23 de maio de 2024

Picanha Suína: O Guia Definitivo

Picanha Suína
Um corte especial

No vasto universo da culinária e do churrasco brasileiro, sempre existiu uma preferência nacional, que beira talvez à unanimidade: a Picanha. Ela é considerada a rainha do churrasco, fica excelente também em outras formas de preparo, e está presente no imaginário das pessoas como sinônimo de felicidade. Então não é de se estranhar então que esse corte tenha gerado além de diversos mitos e receitas, “spin-offs” e variações (como por exemplo a famigerada Picanha do Dianteiro), e também o assunto do artigo de hoje: A Picanha Suína.

Tendo se transformado em assunto recorrente nos churrascos, devido ao aumento da sua popularidade, a Picanha Suína emerge como um fenômeno que cativa os apreciadores de sabores intensos e texturas suculentas. Esta jornada culinária nos levará a desvendar os segredos e nuances por trás da Picanha Suína, desde suas origens até os métodos de preparo que a transformaram em uma estrela ascendente nas churrasqueiras do país.

Origem do Corte Picanha Suína:

A origem da picanha suína remonta à exploração criativa e à busca por novos sabores no cenário culinário brasileiro. É uma forma de valorizar um corte nacional que ganhou o mundo, e trazer a lembrança de suas características com a adição de novos sabores proporcionados pela carne suína. Ao incorporar o termo “picanha”, busca-se a excelência associada a essa tradição consagrada. A história começa com um corte meticuloso na parte traseira do porco, uma região que se revela como uma fusão perfeita entre carne e gordura.

De maneira geral, a picanha suína pode ser retirada da parte traseira do porco, semelhante à picanha bovina. No entanto, para obter o corte desejado, é recomendável comunicar-se diretamente com o açougueiro, para garantir que você obtenha o corte correto e da melhor qualidade.

Se você estiver em um açougue ou supermercado, pode pedir ao profissional responsável para mostrar a peça de carne específica que estão chamando de picanha suína e, assim, obter mais detalhes sobre a origem do corte. Para não errar, o melhor é escolher uma bela peça inteira vendida por uma marca de qualidade.

Evolução da Popularidade da Picanha Suína:

Ao observarmos a ascensão da picanha suína nos últimos anos, torna-se evidente que há mais do que simples modismos gastronômicos em jogo. O crescente aumento de popularidade da picanha suína está intrinsecamente ligado a uma transformação no cenário do churrasco brasileiro, impulsionada por uma busca crescente por qualidade e influências de nações com tradições fortes nesse estilo de preparo, como Argentina, Uruguai e Estados Unidos. À medida que os apreciadores de churrasco no Brasil passaram a valorizar mais a qualidade da carne, inspirados por técnicas refinadas e cortes premium dessas outras culturas, houve uma mudança significativa nos hábitos de churrasco.

Um Título de Excelência

Essa busca por excelência culinária levou a uma demanda por cortes mais nobres, diferenciados, entre eles a picanha suína. Além disso, a crescente internacionalização da culinária e a exposição a diversas tradições churrasqueiras contribuíram para a formação de um público mais exigente e conhecedor. A busca por cortes de carne suína que proporcionem uma experiência sensorial semelhante à da picanha bovina reflete essa evolução de paladar e a influência de um mercado mais sofisticado.

Essa transformação não apenas enriqueceu a diversidade de cortes disponíveis, mas também impulsionou a criação de novos mercados. O reconhecimento da qualidade e sabor únicos desse corte específico resultou em uma demanda crescente, fazendo com que a picanha suína conquistasse seu espaço nas churrasqueiras brasileiras. Em resumo, a popularidade ascendente da picanha suína é um reflexo da busca incessante por qualidade, inspirada por tradições globais, e contribui para a constante inovação e diversificação do universo do churrasco no Brasil.

Características da Carne Suína:

A carne suína, com sua textura macia e suculência inigualáveis, oferece uma experiência sensorial única que a diferencia da carne bovina. Sua qualidade tenra e saborosa, impulsionada pela presença de gordura marmorizada, proporciona uma alternativa distinta na culinária. Em comparação com a carne bovina, a carne suína apresenta um sabor mais delicado, permitindo uma absorção excepcional de temperos e marinadas, tornando-se uma tela culinária versátil.

Carnes Suínas no Churrasco:

No contexto do churrasco, a carne suína desempenha um papel destacado, contribuindo para banquetes ao ar livre com cortes como costelas suínas, linguiças e a cada vez mais popular picanha suína. Sua capacidade de absorver os aromas da fumaça e dos temperos a torna uma escolha natural para grelhar, adicionando uma dimensão única de sabor e textura aos pratos preparados na churrasqueira. A versatilidade da carne suína é evidente também em receitas tradicionais brasileiras, como a feijoada, demonstrando sua presença marcante na cultura culinária do país.

No Brasil, o consumo de carne suína é parte integrante da mesa, com a picanha suína ganhando destaque em churrascos festivos. Essa preferência reflete não apenas a qualidade sensorial única da carne suína, mas também a busca constante por novas experiências e sabores no universo do churrasco brasileiro. Além das fronteiras brasileiras, a carne suína é uma protagonista global, apreciada em diversas cozinhas ao redor do mundo, destacando-se em pratos como o porco assado chinês, costelinha barbecue americana e embutidos europeus. Assim, a carne suína transcende fronteiras, encantando paladares e enriquecendo as tradições culinárias de diversas culturas.

Vale lembrar que é uma excelente alternativa para aqueles que não consomem carne vermelha.

Sugestões de Tempero para Picanha Suína:

A preparação para assar uma bela Picanha Suína no churrasco é verdadeiramente uma arte, exigindo uma meticulosa seleção da peça e a aplicação de técnicas que acentuem suas características singulares. Sendo uma carne suína, vai ter versatilidade para aceitar vários temperos, incluindo opções doces, como mel, frutas ou açúcar mascavo, e devido suas características únicas, oferecerá uma textura mais suculenta do que o lombo ou a bisteca suína tradicional.

Ao explorar essa diversidade de temperos, é possível criar combinações que não apenas intensificam a reação de Maillard, criando uma deliciosa crosta dourada, mas também acrescentam camadas de profundidade e complexidade ao sabor. Essa versatilidade torna a picanha suína uma escolha excelente para o prato principal do seu churrasco, proporcionando uma oportunidade de impressionar os convidados com novos sabores, e também de buscar novos estímulos para o seu paladar.

Vamos apresentar algumas opções de tempero, mas a picanha suína, como toda boa carne suína, aceita as mais diversas técnicas, salmora, marinada, ou mesmo apenas sal e limão assim que sair da brasa:

Marinada de Ervas Frescas:

Uma combinação de alecrim, tomilho e alho picado, harmonizados com azeite de oliva, proporciona uma marinada aromática que realça os sabores naturais da picanha suína. Deixar a peça embebida na solução por algumas horas antes de assar.

Tempero de Mostarda e Mel:

Misturar mostarda dijon, mel, alho e pimenta. Isso cria uma combinação agridoce que eleva a suculência e adiciona uma camada de sabor intrigante.

Rub de Café e Pimenta:

Os amantes de sabores intensos podem experimentar um rub feito com café moído, pimenta preta e páprica defumada a gosto, criando uma fusão única de notas picantes e defumadas. Aperte a mistura contra a peça e deixe algumas horas na geladeira antes de levar à brasa.

Marinada Cítrica:

Uma mistura de suco de laranja, limão, alho e coentro oferece uma marinada cítrica refrescante, perfeita para realçar a frescura da picanha suína.

Ponto da Carne de Porco:

O preparo da carne de porco envolve atenção aos pontos de cocção para garantir sabor, suculência e segurança alimentar. É normal existir uma percepção de que carne de porco deve ser servida sempre bem passada, e essa idéia provavelmente vêm dos almoços em família e da memória afetiva, porém nem sempre isso é verdade, carne de porco tem ponto sim, porém é necessário cuidado.

Consumir carne de porco crua ou mal cozida apresenta sérios riscos à saúde, pois a carne suína pode abrigar parasitas, bactérias e vírus. A triquinose, causada pelo parasita Trichinella spiralis, a Salmonela, Toxoplasmose e a possibilidade de transmissão do vírus da Hepatite E são preocupações associadas ao consumo de carne de porco crua. Esses agentes patogênicos podem causar desde sintomas gastrointestinais até complicações mais graves, como infecções musculares e cardíacas.

Portanto, o ideal é sempre buscar consumir a picanha suína ao Ponto Mais, cuidando para não perder suculência, mas com temperatura suficiente para eliminar riscos.

Técnicas de Preparo da Picanha Suína:

A picanha suína, além de vários temperos, também aceita diversos preparos que resultam em experiências diferentes no momento da degustação.

Steaks na grelha:

Essa é a maneira mais clássica, rápida e fácil. Simplesmente corte a peça em steaks e coloque na grelha. Brasa bem forte, faça a reação de maillard nos dois lados, depois mova o steak para a parte menos quente da churrasqueira até chegar no ponto desejado. Lembre-se que a espessura do steak irá influenciar no tempo de cocção. Quanto mais fino mais rápido e maior a probabilidade de ficar seco. Opte por uma espessura de dois dedos na média.

Peça Inteira:

Já que estamos falando de picanha, por que não usar essa técnica muito usada para picanha bovina? Posicione a peça inteira na churrasqueira e grelhe os dois lados até obter a cor dourada. Essa técnica é usada para que a gordura fique pré assada e não tenha risco de estar mal cozida quando ficar pronta. Após grelhar os dois lados, leve a peça à geladeira para não perder líquido e evitar moscas. Conforme o churrasco for avançando, retire steaks dessa peça (vão estar cru por dentro), e termine de grelhar de maneira tradicional.

Casquerada no Espeto:

Uma outra técnica “roubada” da picanha bovina. Corte a peça em steaks de três a quatro dedos e espete-os em formato de U em um espeto de churrasco. Leve à brasa forte virando constantemente, se possível usar um espeto giratório. Conforme a crosta for ficando dourada, tira-se bifes finos com a faca (técnica conhecida como casquerar), até onde o ponto da carne permite, e depois volte o espeto para a brasa para assar o restante.

Defumada:

Leva-se a peça inteira ao defumador, deixando por várias horas em temperatura baixa. Essa é uma técnica complexa que exige um termômetro e um equipamento para defumar, portanto, deixaremos os detalhes para outro artigo.

Curiosidades Culinárias e Científicas:

A jornada pela “Picanha Suína no Churrasco” nos conduz a um fascinante mundo de curiosidades culinárias e fundamentos científicos que enriquecem ainda mais a apreciação desse corte excepcional. Vamos explorar algumas dessas peculiaridades, oferecendo orientações práticas e exemplos que podem aprimorar a experiência ao preparar e saborear a picanha suína.

Métodos Tradicionais de Preparo:

Em diferentes regiões do Brasil, encontramos métodos tradicionais únicos para preparar a picanha suína. No Sul, por exemplo, a tradição do fogo de chão destaca-se, onde a picanha é lentamente assada em um buraco cavado no solo, resultando em uma textura defumada irresistível. No Nordeste, técnicas de marinadas à base de ingredientes locais como coco e pimenta revelam a influência da cultura regional. Experimentar essas técnicas proporciona uma verdadeira imersão na diversidade culinária do país.

Uso de Madeiras na Churrasqueira:

A carne de porco é extremamente sucetível à adição de sabores via fumaça. A técnica é simples, escolha a madeira e coloque-a na brasa logo abaixo da peça a ser saborizada. Madeiras frutíferas, como maçã ou cerejeira, adicionam uma doçura sutil, enquanto opções mais robustas, como carvalho ou mesquite, conferem notas defumadas intensas. Experimentar com diferentes tipos de madeira pode revelar nuances surpreendentes na picanha suína, proporcionando uma dimensão extra à experiência do churrasco.

Tempo de Descanso Após o Preparo:

O descanso adequado após o preparo é uma etapa muitas vezes subestimada, mas crucial para garantir a suculência da picanha suína. Permitir que a carne descanse por alguns minutos antes de fatiar é importante pois permite que os sucos internos se redistribuam, resultando em fatias mais suculentas. Essa prática simples, mas eficaz, é um segredo frequentemente compartilhado por churrasqueiros experientes.

Inovações na Picanha Suína:

A picanha suína também é um campo fértil para inovações culinárias. Desde técnicas de sous-vide até marinadas exóticas, chefs e entusiastas do churrasco estão constantemente explorando maneiras de elevar a experiência da picanha suína. Experimentar com diferentes métodos de preparo, temperos e técnicas de cocção abre um leque de possibilidades, permitindo descobertas surpreendentes e personalização de acordo com as preferências individuais.

Ao mergulhar nessas curiosidades, é possível transformar a preparação da “Picanha Suína no Churrasco” em uma experiência educativa e prazerosa. Ao entender os processos científicos envolvidos e explorar as tradições culinárias, cada churrasco se torna uma jornada única de descobertas, tornando a picanha suína não apenas uma refeição, mas uma celebração de sabores e técnicas.

Conclusão:

Em resumo, a “Picanha Suína no Churrasco” transcende a mera condição de alimento. Ela é uma celebração da diversidade culinária, uma homenagem à tradição e um convite para a inovação. Este corte excepcional, que evoca a picanha bovina, desempenha um papel fundamental no panorama do churrasco brasileiro, pois oferece uma experiência única que se destaca entre as brasas.

Lembrando: A preparação da “Picanha Suína no Churrasco” é uma dança entre técnica e arte. Utilize marinadas com açúcares naturais para intensificar a reação de Maillard e adicionar camadas extras de sabor. Se a peça não estiver marmorizada, besunte-a com azeite, manteiga ou banha (tallow) para aprimorar a experiência gastronômica. Portanto, cada churrasco é uma celebração, e a picanha suína é a estrela que ilumina essa festa de sabores, proporcionando uma experiência sensorial completa que perdura na memória gustativa de quem a aprecia.

Artigos Relacionados